Política

Flávio Dino move ação criminal contra apoiador de Bolsonaro no Maranhão

Leonardo Zanchi Gabriel com o presidente Jair Bolsonaro em evento promovido pela classe empresarial

O governador Flávio Dino (PCdoB) mais uma vez aciona a Justiça para tentar intimidar e penalizar um cidadão que ousa confrontar seu posicionamento político e ideológico. Desta vez, o alvo da intolerância do comunista é o estudante de Ciências Aeronáuticas Leonardo Zanchi Gabriel, gaúcho que reside em Balsas, no sul do Maranhão, apoiador declarado do presidente Jair Messias Bolsonaro.

Em uma ação criminal, Flávio Dino acusa Leonardo Zanchi Gabriel de calúnia e difamação. O processo tramita no Juizado Especial de Balsas desde 17 de dezembro de 2020. O julgamento da questão está a cargo do juiz Azarias Cavalcante de Alencar.

Detalhe: inicialmente, o caso estava sob a responsabilidade do juiz Pedro Henrique Holanda Pascoal, substituído por motivo não informado na consulta processual feita por este blog no sistema de busca do Tribunal de Justiça do Maranhão.

Militância

Leonardo (à direita) em ato pró-Bolsonaro ao lado do pai, Zé Gabriel, que concorreu ao cargo de prefeito de Balsas na última eleição

Nas redes sociais de Leonardo Zanchi Gabriel, que é académico da Pontifícia Universidade de Goiás (PUC-GO) e filho do ex-candidato a prefeito de Balsas pelo PSL, Zé Gabriel, há sucessivas postagens com mensagens de apoio ao governo Bolsonaro e contra ideias e ações defendidas pela esquerda brasileira, da qual o governador maranhense é um dos membros destacados.

No entanto, nos perfis do apoiador do presidente no Facebook e no Instagram não é vista nenhuma ofensa ou qualquer outra menção direta a Flávio Dino. Das duas uma: ou o suposto ataque ao comunista ocorreu fora do ambiente virtual ou o conteúdo ofensivo foi excluído das redes sociais de Leonardo tão logo o militante bolsonarista tomou ciência da ação criminal na qual se tornou réu.

Audiência

A mais recente movimentação do processo no Juizado Especial de Balsas, registrada no último dia 26 de janeiro, foi um despacho da juíza Nirvana Maria Mourão Barroso, que está respondendo pelo titular do Juizado Especial de Balsas, determinando a inclusão do caso na pauta para audiência preliminar por videoconferência.

Ao intimar as partes, a magistrada advertiu o réu para que este compareça acompanhado por advogado, caso contrário será assistido por defensor público ou advogado dativo, conforme prevê a lei. Determinou ainda a magistrada que fossem juntados aos autos os antecedentes de Leonardo.

Abaixo, informações do processo criminal obtidas pelo blog em consulta ao sistema de busca do TJMA:

Deixe uma resposta